Top 4 N.B.

Um roteiro dos melhores rangos do Núcleo Bandeirante

A mais ou menos 10 km do Plano Piloto, encontra-se o Núcleo Bandeirante, Região Administrativa do DF que tem 25.072 habitantes e algumas características de cidadezinha do interior. O Bandeirante, como eu conheci há alguns anos e aprendi a chamar, é um lugar muito charmosinho, em que é comum que os vizinhos conheçam uns aos outros pelo nome, tem uma feira permanente raiz (onde você compra boa farinha de mandioca, come a famosa buchada de bode e pode até dançar forró), um mercado “municipal”, o Mercadão, onde se encontra de tudo um pouco, e uma praça em que se instalam os circos itinerantes que, vez ou outra, chegam à cidade. Em passeios pela aconchegante Bandeirante, pude conhecer alguns lugares deliciosos de se estar, beber ou comer. Tá de bobeira sexta à noite? Procura um almocinho de domingo? Tá a fim de um lanchinho no fim da tarde? Então apresento a vocês os meus cantinhos favoritos no Bandera.

Tapiocaria e Cuscuzeria Tarrabufado

Sabe aquele dia em que você tá a fim de um lanchinho gostoso, que alimenta e ainda tem gostinho de feito pela vovó? Você está no lugar certo: bem-vinda/o a Tarrabufado! Lugar nota 10. Atendimento de primeira. Decoração? Só vendo a lindeza. Estar ali sentada já dá felicidade, a Tarrabufado é um pacote completo.

Diretamente da Paraíba, o cardápio exibe várias opções entre cuscuzes, tapiocas e sucos. O meu lanche predileto, e minha indicação do cardápio, é o cuscuz com manteiga, carne-seca desfiada, queijo coalho, ovo frito e mais uma bananinha tostadinha, no valor de R$ 13,00. Reuniram praticamente tudo que eu gosto num maravilhoso e bem-servido prato (quase nunca vario o pedido).

Toda a composição do prato vem no ponto perfeito. O cuscuz é molhadinho, o ovo no ponto, a banana e o queijo douradinhos e a carne-seca (ai, a carne-seca…) é servida de um jeito inimaginável, mas muito melhor do eu que podia esperar, vem desfiada numa espécie de creme que eu nunca tinha comido na vida. Só o que eu posso dizer é que é m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a. E, para acompanhar, suco de frutas vermelhas (das Deusas!). Quer mais? Sempre tem espaço para uma sobremesa. A minha indicação é a tapioca com recheio generoso de chocolate e morangos, que custa 12 reais. Acreditem, valeu cada um dos centavos!

O lugarejo é uma belezura pros olhos, um aconchego pro coração e um carinho no estômago.  Se interessou? Vai lá conferir. Fica na 3°Avenida, lá pra baixo, ao lado do restaurante Fogão Goiano. E abre de segunda a sábado, das 16h às 22h.

Dica: levem dinheiro, pois lá não aceitam cartão.

Cantina Alterosa

“Há mais de 50 anos servindo e fazendo amigos, o restaurante Cantina Alterosa é a realização do esforço e trabalho de migrantes nordestinos, sendo um dos restaurantes mais tradicionais do N. Bandeirante. Além dos pratos nordestinos, passeia pela culinária italiana, adicionando sabores tipicamente brasileiros. Aqui você está em um Restaurante, num Botequim e até num Boteco. Aos que nos prestigiam agradecemos a preferência.” (Apresentação do cardápio)

A Cantina Alterosa lembra aqueles restaurantes de cidades seculares, que a gente nunca acha que vai encontrar no DF, mas que o Bandeirante é capaz de proporcionar. Os garçons, apesar de sempre corridos, já que a casa vive cheia, atendem muito bem, e os pedidos costumam sair rapidamente, quentinhos, deixando aquele cheirinho de uma tradicional cantina no ar.

Esta dica é para aquele domingo preguicento, em que a gente só quer uma comidinha bem feita e tradicional e tomar aquela cervejinha para encerrar o fim de semana e ter coragem para encarar a segundona. A Cantina Alterosa é isso tudo. Chega lá, pede o pastelzinho de carne super-bem-temperado e a cerveja pra abrir o apetite, e, como prato principal, sugiro o Contrafilé à Parmegiana (contém a versão mais barata Bife à Parmegiana). Essa é a minha indicação de almocinho de domingo com a família. Um contrafilé à milanesa, coberto com queijo e molho de tomate, acompanhado de arroz e batatas fritas caseiras. Isso mesmo que você leu, CASEIRAS. Eu poderia mentir que eu vou lá só por causa do contrafilé à parmegiana, mas confesso que as batatas também mexem muito comigo.

O valor do Contrafilé à Parmegiana é R$59,90, servindo muito bem duas pessoas, e, em alguns casos, serve até três pessoas. A versão Bife à Parmegiana é mais em conta e também muito gostosa, custa R$49,90 para 2 pessoas, e, terças e sextas, custa R$35,00.

A cantina tem variado cardápio de carnes bovinas, suínas, aves e peixes, e também oferece feijoada as sextas e sábados, no valor de R$62,00 a porção grande.

Endereço: 3ª Avenida, Lote 420B, perto do Corpo de Bombeiros.

Bar do Led

Este lugar aqui é pro dia do pé na jaca. O incrível Bar do Led é uma perdição para quem ama cerveja e rock’n roll. Se identificou com a descrição? Então coloca a jaqueta de couro e vem com a gente.

De dia parece apenas mais um quiosque como tantos outros que existem no Bandeirante, mas é à noite, de terça a sábado, que a magia do bar acontece. Com o quiosque aberto, TV ligada com shows de rock rolando no DVD, grande variedade de cervejas à disposição da clientela, o Bar do Led se tornou ponto de encontro de motoqueiros e o melhor lugar para tomar cerveja e ouvir música boa da cidade.

O Oli, dono do Bar do Led, conta que toda essa história de bar começou há mais ou menos 7 anos, com aquela grande vontade de tomar uma gelada, em dia de calor, perto de casa. Ele frequentava um quiosque na redondeza e pensou “por que não ter o meu próprio?”, daí, então, fez uma proposta ao dono desse tal quiosque da redondeza, comprou o local e agora toca sua minicervejaria ao lado de sua esposa, Lili, perto de casa, com suas músicas favoritas e com a estrela da noite, a Cerveja.

O Bar do Led tem extenso cardápio de cervejas, que oferece as largers e pilsens mais conhecidas do povo brasiliense e também as especiais. Tá na dúvida de qual pedir? O Oli dá uma aula sobre as cervejas, é só perguntar. E fica a dica de que o dono do bar costuma colocar umas especiais na promoção. No dia em que eu fui visitá-lo, experimentei a Franziskaner (500 ml), de R$ 28,00 por R$ 20,00. O bar ainda conta com a maestria de sua airfryer, que serve um pernil de porco com geleia de pimenta de primeira (R$ 28,00), deixando qualquer apreciador de comidas goumert bastante satisfeito.

Sem decepções, o Bar do Led é um pub a céu aberto. Música boa, cerveja de qualidade e ambientação de primeira resume o local, além da sensacional decoração feita com posters, lâmpadas de luz negra, caveiras, placas neon, e mais muitos detalhes que com certeza estou deixando de fora.

Onde fica? Avenida Central, perto do Mercadão.

Obs.: vale dizer que o banheiro do bar é limpíssimo, cheiroso, impecável. Na última vez em que fui lá, chegou um cliente dizendo “sexta-feira, nessa hora, é o único banheiro de bar limpo que eu conheço”. Da mulherada de plantão, como eu, fica o agradecimento ao bar.

Garagem Burger

Indicação do Oli, o Garagem Burger me faz salivar até hoje. Isso mesmo, o Oli, dono do Bar do Led. No dia em que fui bater um papo com ele sobre o bar, falei que estava com fome e ele me disse: “já conhece o Garagem Burger?”. Pude confirmar a sua preferência pela hamburgueria 20 minutos depois, ao dar a primeira dentada no meu Original Burger, quando Oli passou por mim e disse: “tive que vir também”; e pediu um pra viagem. E foi assim que o preferido do Oli passou a ser um dos meus lugares favoritos no Bandeirante.

Aqui, eu vou apresentar um dos melhores hambúrgueres artesanais do DF. E posso dizer, como uma grande apreciadora de hambúrgueres, que é espetacular, sem sombras de dúvidas.

A primeira pergunta que eu ouvi quando cheguei ao foodtruck, feita por um cliente que acabara de lanchar, foi “como vocês fazem pra deixá-lo crocante por fora e suculento por dentro?”. É exatamente isso. O hambúrguer é crocante por fora e suculento por dentro. No ponto. Nossa, mãe! Salivei de novo.

A minha indicação é o Original Burguer, feito no pão de brioche e recheado com hambúrguer, queijo prato, alface, um maravilhoso picles de cebola roxa sem precedentes e maionese da casa sem igual. Ele custa 15 reais, é o mais barato do cardápio. Mas não por isso vá pensando que é um pequenininho gourmet, não. Ele é grande, recheado de sabores que explodem na boca. Em tempos de crise, indico o lanche como excelente investimento para uma saidinha sexta à noite. Eu, que sempre faço questão do bacon, pedi um adicional de R$ 1,50, que deixou muita gente de olho grande no meu lanche. O hambúrguer foi servido numa minitábua de carnes, que eu achei um mimo pros olhos.

Dono de um hambúrguer delicioso e com bom atendimento: esse é o Garagem Burger. Para conferir, a hamburgueria fica na Q 2, no Núcleo Bandeirante, na esquina de frente para o posto de gasolina e margeado pela Segunda Avenida. Seu horário de funcionamento é de terça a domingo, das 18h às 23h. O local é amplo, com várias mesas e cadeiras, e bem tranquilo, dá pra ir com toda a família.


Fernanda Tibana Machado

9 de agosto de 2017