Com Pimenta

“É que eu sou da pele preta. Graças a Deus!”

Foto: Vinícius Xavier/Divulgação

Novembro, mês da Consciência Negra, vem com uma programação repleta de atividades que fazem referência à cultura afro-brasileira. Shows, festas, cinema.

As próximas semanas também terão apresentações de artistas mainstream como Caetano Veloso, Madeleine Peyroux e Nação Zumbi. Confira minhas dicas:

 

Axé

2017 está quase acabando e tudo indica que vem por aí um dos melhores projetos culturais desse ano. Entre os dias 15 e 20 de novembro, a Caixa Cultural recebe a ocupação Agô – Samba e Ancestralidade, com artistas que trabalham a religiosidade afro-brasileira. No super time de convidados: Nei Lopes, Fabiana Cozza, Mateus Aleluia (foto no alto), Teresa Lopes, Glória Bomfim, Filhos de Dona Maria e Grupo de Percussão Afro Omo Ayó. Ingressos à venda a partir de 11 de novembro.

Cinema na rua

A última sessão de 2017 da Mostra de Cinema Itinerante Kinofogo já tem data e local: 11 de novembro, no Paranoá. Na tela, o documentário de Ana Rieper, “Vou rifar meu coração” em que Agnaldo Timóteo, Amado Batista e Wando, entre outros, abrem suas casas e corações, falando sobre suas vidas e amores.

Despedida

A banda O Rappa já anunciou que vai dar uma pausa na carreira – sem previsão de volta – para a tristeza dos fãs. Uma das últimas chances de ver os cariocas no palco é no dia 2 de dezembro, no show do Ginásio Nilson Nelson. A abertura é com o grupo mais querido de Pernambuco, Nação Zumbi.

Em família

No mesmo dia, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, tem show de Caetano Veloso ao lado dos filhos Moreno, Zeca e Tom. O repertório eclético conta com “Um passo à frente”, “How beautiful could a being be”, “Você me deu”, “Tá escrito” e “Alegria alegria”. Ingressos a partir de R$ 80.

Noite de jazz

A cantora norte-americana Madeleine Peyroux faz única apresentação na cidade no dia 10 de novembro. Acompanhada do guitarrista Jon Herington e do baixista Barak Mori, ela interpreta músicas do novo álbum, Secular Hymns. Ingressos à venda.

Curtas no CCBB

A Mostra de Curtas “Brasília em Plano Aberto” tem o tema Diversidade e consciência negra no mês de novembro. Na programação: “Rap, o canto da Ceilândia”, de Adirley Queiroz; “Das raízes as pontas”, de Flora Egécia; “Marcas de uma estrada griô”, de Pato Sardá; e “Entre cores e navalhas”, de Catarina Aciolly e Iberê Carvalho. Dia 1º de novembro, às 19h30, no CCBB. Entrada franca (retirada de ingressos a partir de 1h antes do início da sessão).

Lançamento

Martinha do Coco lança o disco “Rodas Griô” dia 9 de novembro, às 16h, na Praça Central do Paranoá. O CD tem a participação Nanãn Matos, Lirys Guimarães e Chiquinho Lopes. O evento também terá shows de Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro, Porta do Mundo e Tambor de Crioula Lua Nova.

10 anos
A Andaime Cia de Teatro comemora uma década de estrada com espetáculo inédito no Canteiro Central (SCS). “Apré Deprê” tem sessões até 14 de novembro, sempre às terças-feiras, pelo projeto Teatro Bar. Ingressos: R$ 20.

Maratona cultural

Liniker e os Caramelows são uma das atrações musicais do Festival Taguatinga de Cinema (Teatro da Praça). Além da banda, que toca no dia 4 de novembro, vai rolar Thabata Lorena e DJ Gerson de Veras, entre outros. Programação completa aqui.

De graça

Toda programação do Festival Taguatinga de Cinema é gratuita. Neste ano, o festival chega à 12ª edição com o tema “A Nossa Porção Mulher”. A seleção de filmes pretende mostrar diferentes visões audiovisuais em relação ao feminino e ao feminismo. Na Mostra Competitiva estão “Fora do Plano”, “Sustento”, “Diamante, o bailarina”, “Mucamas”, “Nó” e “Apesar de tudo”.

Continuação

Quem achou que a programação do Festival Latinidades se resumia às atividades no mês de julho (quando se comemora a semana da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha), se enganou. No dia 24 de novembro, o festival promove a Festa Latinidades no Estádio Nacional Mané Garrincha, com entrada franca! No line up: Rebeca Realleza (DF), Rosa Luz (DF), Preta Rara (SP), Ifá (BA) e Sandra Izsadore (EUA), entre outras.

Em tempo: “Liberdade Assistida”

Longe do ofício de atriz há alguns anos, a produtora Marta Carvalho voltou com tudo para os palcos. No monólogo “Liberdade Assistida”, ela mostrou as dores, os sonhos, a força e a coragem das mulheres encarceradas no Brasil. As sessões – extras, inclusive – não foram suficientes para o público do DF. O Espaço Cena lotou e já tem muita gente pedindo outra temporada da peça na cidade!


Maíra de Deus Brito

31 de outubro de 2017