Com Pimenta

“Tá na hora da virada, vamos dar o troco”

Foto: Reprodução/Internet

Quem me conhece, sabe o quanto gosto de samba. A admiração pelo gênero tem uma lista grande de motivos e, sem dúvida, a força e a resistência das “batucadas dos nossos tantãs” fazem parte dessas razões.

Em meados dos anos 1980, a cantora Beth Carvalho ia lançar um disco em maio, mês do trabalhador. Inspirados na labuta do povo brasileiro, o meu querido Noca da Portela e seu parceiro musical Gilpert compuseram para o tal LP a música “Virada”, sucesso que acabou virando hino do movimento Diretas Já!.

Mais atual do que nunca, a letra diz:

“Vamos lá rapaziada, tá na hora da virada, vamos dar o troco
Vamos botar lenha nesse fogo, vamos virar esse jogo que é jogo de carta marcada
O nosso time não está no degredo, vamos à luta sem medo que é hora do tudo ou nada”.

Em tempos tão temerosos, fazer cultura – mais uma vez – é revolução.

Confira as minhas dicas para as próximas semanas:

Teatro em Cena
A 18ª edição do Cena Contemporânea vai até domingo, dia 3 de setembro. Os ingressos são disputadíssimos, mas vale a pena ficar de olho nos espetáculos “Vaga Carne” (MG), “Dissidente” (BA) e “A Moscou! Um Palimpsesto” (DF), que ocupam os teatros da cidade de sexta a domingo. Programação completa aqui.

De graça
Pra turma que sempre perde a compra de ingressos ou que só curte a programação musical do Cena, anota aí: dia 31 tem Alberto Salgado e Tulipa Ruiz e Marcelo Jeneci; dia 1º de setembro, banda Judas e DJ Gérson Deveras; dia 2, Otto e DJ Donna; e dia 3, Junior Ferreira e Victor Angeleas e Lô Borges. Tudo de graça na praça do Museu Nacional da República.

Tropicália
Depois de passar pelo Rio de Janeiro, chega ao CCBB Brasília o Festival Quanto Mais Tropicália, Melhor. O evento, com curadoria da brasiliense-carioca Monica Ramalho, celebra os 50 anos do Tropicalismo. No dia 2 de setembro, tem Céu e Tom Zé e, no dia 3, Plap (Pedro Luís e a Parede) e Pato Fu. No repertório, “Vapor barato”, “Parque industrial”, “Alegria, alegria” e “Ando meio desligado”, entre outros clássicos. Ingressos a R$ 10 (meia) na bilheteria do CCBB.

De Picasso a Portinari
Falando em CCBB… A exposição “Entre Nós – A figura humana no acervo do MASP” fica aberta ao público até 18 de setembro. É a chance de o brasiliense ver de perto obras de Van Gogh, Gauguin, Goya, Velászquez, Manet, Modigliani, Degas, Renoir, Picasso, Anita Malfatti e Candido Portinari. De terça a domingo, das 9h às 21h.

Espiral de Ilusão
O rapper Criolo traz a turnê do disco mais recente “Espiral de Ilusão” para Brasília. Ele se apresenta dia 16 de setembro na festa Melanina, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Além de Criolo, a noite conta com Dream Team do Passinho, DJ A e Funkeando. Ingressos aqui.

O bonde não para
MV Bill e Kmila CDD fazem única apresentação na cidade dia 9 de setembro, no Corredor Central (Setor Comercial Sul). O rap segue com Heitor Valente, Sobreviventes de Rua e DJ Ocimar, entre outros.

De volta
Quem perdeu a última passagem de Ney Matogrosso não precisa mais sofrer. O cantor volta à cidade com “Atento aos Sinais” em 29 de outubro. No Centro de Convenções Ulysses Guimarães, Ney canta Criolo, Caetano Veloso, Paulinho da Viola… Ingressos a partir de R$ 80 (meia).

Alô, porteiro
Nem só de samba vive esta colunista. Dizem as boas línguas que dia 16 de dezembro tem Festa das Patroas com Maiara & Maraisa, Marília Mendonça e Dennis DJ, no Estádio Nacional. Logo menos, mais informações!

 


Maíra de Deus Brito

31 de agosto de 2017